sábado, 2 de junho de 2012

Ainda lembro...

Ainda lembro como se fosse ontem, o calor dos braços teus no primeiro abraço que me destes.
Ainda lembro de querer aquela sensação pro resto da minha vida...
Ainda lembro de achar impossível aquilo se eternizar, de não acreditar que pudesse ser meu... Que pudesse ser eterno e verdadeiro e que as palavras ditas na ocasião pudessem ser reais.
Ainda lembro de querer absurdamente acreditar em cada palavra que dizias, e ainda lembro de forçar-me a lembrar que sonhos não existiam e que aquilo não passava de uma história breve...

Porém, apesar de todo o meu racional trabalhar no que eu acreditava ser a meu favor, os sinais, a sensação, o calor, o que meu coração sentia brigavam pra me convencer do contrário... E eu, organizava minha mente para fazer aquilo que ela mais sabe fazer... esquecer.

E por mais esquecida que sou, a lembrança do que vivi é tão viva e concreta que tenho certeza que jamais esquecerei... Mesmo no fim da vida, sem memória alguma, disso não irei esquecer.

Ainda lembro, nitidamente, de não crer que pudesses ser meu... somente meu...

Ainda lembro, como se tivesse acontecido a um segundo atrás apenas, do beijo teu... De querer que aquele momento não terminasse... de desejar mais do que tudo que aquilo que vivíamos na ocasião, pudesse ser eterno.

E também lembro, do aperto no peito ao perceber o final de nosso encontro. De pensar que não o veria novamente...
Ainda lembro do seu rosto me olhando naquele corredor, parado. E mil pensamentos correndo em minha mente...

Ainda lembro de sonhar com você após isso... Lembro de tentar esquecê-lo... e acabar sendo meu último pensamento do dia.

E hoje, ao carregar no meu ventre um filho teu... tenho certeza que meu coração não me enganara ao me dizer naqueles momentos vividos com você, que nossa história não terminaria ali...

E mesmo sendo totalmente incrédula e racional e podendo pensar que "se" não for eterno o que temos, eu poderei dizer com convicção a frase: "Foi poeta, sonhou e amou na vida." E para mim sinceramente, é isso que importa e é por isso que vale a pena viver.

Ainda sou completamente apaixonada por você do mesmo jeito que quando te conheci... e meu coração me diz que isso não terá fim...


A você, meu querido Julio...