quarta-feira, 2 de junho de 2010

Um centésimo de mim...

A melhor maneira de conquistar amigos, ou melhor, a única é a autenticidade!
Se não fosse assim, teríamos dezenas de Daniele's com risadas iguais, pensamentos iguais e comportamentos idem.

O que te encanta em uma pessoa?

Não é o rosto, o corpo, isso atrai! Encantamento se dá por magnetismo, afinidades, PERSONALIDADE! E é isso que faz de cada um de nós, seres diferentes, não existe ninguém no mundo igual a mim e nem a você!!! Olha que mágico.... olha que coisa que nos torna especial apenas por existirmos!

Sempre que passamos por alguma mudança, vem o sofrimento - porque NÃO EXISTE mudança sem dor - e algumas pessoas, felizmente, usam esses momentos pra se conhecerem, afinal, muitas vezes vivemos uma vida inteira e percebemos que não nos conhecemos.
Sempre fui adepta da autoavaliação, sempre acreditei que uma situação ruim NUNCA é culpa de uma pessoa só, sempre acreditei no bom senso das pessoas e consequentemente em seu discernimento e inteligência, e graças ao meu bom Deus, jamais deixarei de ser otimista por natureza!
Sou uma pessoa que NECESSITO de alegria na minha vida, risadas, bagunça, calmaria não faz meu estilo... me imagino uma mãe que brinca de videogame com o filho e uma vó que tenta acompanhar todas as loucuras!
Quando vivo cercada de desânimo, tristeza, repenso minha vida e tomo como meta a mudança. Não tenho medo de mudar! Não tenho medo de tentar, eu sou a autora dessa peça, posso criar personagens a hora que quiser, posso destruí-los a hora que bem entender e posso mudar o roteiro como achar certo. Claro, não meto as pessoas nessa loucura como se fossem minhas marionetes, mas internamente todo esse agito acontece em mim.
Apesar de tudo isso, sou muito séria e reflexiva, e é SÓ por ser assim que me conheço mais dia após dia. Do contrário, seria apenas mais uma que arruma culpados para os erros da própria vida, tudo isso, justamente por não conhecer meus defeitos e fraquezas. Afinal quem é que dá os méritos de suas conquistas aos outros??? Não, a eles só cabem nossos erros...
Não tenho vocação pra vítima, você jamais me verá culpar o outro pelo fracasso de minha vida - se assim for - jamais me verá tentar conquistar alguém através da pena... Acho isso apelativo e indigno. Qualquer pessoa, por pior que seja, tem vários atrativos para conquistar alguém, não sendo estes a piedade.
Quando erro, eu admito! Não sei mentir, não sei atuar, e não sei fingir que está tudo bem quando não está. Por isso, se me vires cabisbaixo, saberás que estou triste, mas se me vires rindo saberás que estou feliz! Não tenho a vocação de usar as pessoas pra satisfazer minhas carências, pois não tenho o direito de brincar com a vida delas dessa forma, até porque aqui se faz e aqui se paga, posso um dia ser eu a vítima disso. ;)
Na realidade sou mais fácil de lidar do que eu mesma suponho.

É verdade, o tempo que passou, paciência, não volta mais... assim como os planos deixados no passado, as pessoas, as oportunidades... tem coisas que simplesmente não tem volta...

4 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente, querida Daniele, possuímos pouca ingerência quanto ao rítimo imprimido ao "caminho" chamado "vida"...não temos como parar para "descansar" quando bem entendermos, sem que isso signifique por um "ponto final" no nosso "percurso"...não temos como retroceder e consertarmos eventual deslise havido no nosso "roteiro"...tampouco podemos acelelar o passo ao nosso bel-prazer. No entanto, temos, sim, a liberdade de escolha quanto ao "itinerário" a seguir, podendo facilmente - ou com algum esforço, desde que desejado - optar por "rotas" que nos levem a lugares e pessoas desconhecidas ou, então, se realmente assim almejarmos, a cruzarmos, novamente, em novo "ponto", com aqueles que deixamos pelo "caminho".

Fabiano Sbaraini disse...

Somente para registrar, fui eu quem escreveu o comentário acima. Aliás, como sempre, belo texto. Parabéns.

Daniele Buzatta disse...

Oi Fabiano! Quando te chamo de querido, não uso de ironia, vou acreditar que o mesmo ocorre com você em relação a mim...
Sempre é um esforço optar por rotas, na minha opinião, principalmente se preferíssemos ir por outros caminhos que não nos são mais permitidos. Mas a vida é feita de escolhas - como você mesmo já me disse em outras circunstâncias - e tem momentos em que nos resta apenas uma rota a seguir.
Cruzar com aqueles que deixamos esquecidos pelo caminho, se percebermos que foi um erro deixá-los no passado, também é válido... se tivermos certeza que o lugar deles realmente não é no passado e se esse alguém já não esteja vivendo o seu presente em outra rota oposta...

Obrigada pelos parabéns, mas escrever como você escreve - mesmo sem esforço - talvez só com uma faculdade de Direito... rsss

Fabiano Sbaraini disse...

Jamais usei de ironia ao me referir a você. Realmente és uma pessoa deveras querida. Sabes muito bem disso. E, como sempre te disse, tens um dom para a escrita que deveria ser melhor "explorado". Não analiso o texto sob a ótica da ortografia ou outra base objetiva, mas pelo que ele me passa, por seu conteúdo.