quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Adeus Bobzinho...

Muita gente não gosta de gatos...
"Eles são traiçoeiros!", "São interesseiros e não nos bajulam como os cães!"
A maioria deles são assim...

Mas eu tive um que era diferente... muito diferente!
Eu dizia que era um cão num corpo de gato.. Desde filhote ele sempre foi extremamente carinhoso. A ambição dele era carinho! Largava a ração se fosse pra ganhar carinho...

Ele gostava de dormir entrelaçado aos cabelos e ronronava de puro prazer... Ele sempre foi um bebezão, mesmo depois de adulto! O meu bebezão!

Até que resolvemos castrar o Bob, para que ele não almejasse tanto a rua e acabasse se ferindo.
O problema é que gatos castrados têm mais chance de desenvolverem problemas renais... e foi exatamente isso que aconteceu com o Bob...

Em questão de 2 dias, ele ficou doente e .... morreu.

O Bob, meu bebê morreu!

Quando soube, chorei feito criança! Parecia que havia morrido alguém de minha família e pra mim ele era da família... Sempre foi o meu nenê, meu xodó, apesar de amar os outros...

Ele era albino, de olho azul! Lindo, lindo!

Quando o vi, durinho e gelado no chão, aquele excesso de pêlo ainda balançando com o vento não quis acreditar!!!

Fazia tempo que não sentia tanto a perda de um bichinho... E foram muitos os que perdi.









quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Frases soltas


Vocês já sentiram a temperatura de uma lágrima?
É quente!

Quente porque vem de dentro. Lágrima é talvez a demonstração mais sincera do ser humano.
É involuntária e isso a torna sincera.
Surge até mesmo quando ensaiada para não surgir. Demonstra descaradamente o que sentimos... é nossa inimiga!
Odeio chorar quando estou com raiva!
Parece fraqueza! Soa como fraqueza!
Lágrima nunca foi sinônimo de força!


E quando ela pára de se mostrar ainda deixa uma cicatriz inconfundível... um rosto murcho e desidratado reconhecido por qualquer um que já tenha sido vítima dessa inimiga muito incoveniente!



quarta-feira, 9 de setembro de 2009

"O falso amigo e a sombra só nos acompanham quando o sol brilha." (Benjamin Franklin)

"Tudo que é falso, é ruim, até mesmo a roupa emprestada. Se seu espírito não combina com a sua roupa, você está sujeito à infelicidade, porque é desta maneira que as pessoas se tornam hipócritas, quando perdem o medo de agir mal e de dizer mentiras."


Ramakrishna

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Metamorfose ambulante


Sempre tive o hábito de não me mostrar, de reter em mim as emoções e não as transparecer , de ter resposta racional e séria pra tudo. Me toquei do robô que era quando em um determinado momento de sofrimento de minha irmã, ela olha pra mim e diz: "Queria ser que nem tu que não sofre." Nesse dia eu vi que enganava os outros e a mim mesma bem até demais! Eu sempre achei que se expusesse meus reais sentimentos estaria me entregando de bandeja pro azar.

Sempre evitei mostrar o que realmente sou. Não deixava as pessoas me conhecerem a fundo, só a Dani racional que eu permitia aos outros conhecer. Eu achava que se vissem que choro por bobagens, que espero ações românticas do amado, que me irrito fácil, que como muito, que às vezes não me acho "a poderosa" e sim um patinho feio, acabariam perdendo uma possível admiração por mim e desprezando minha companhia.
Na realidade não deixava ninguém chegar perto do meu coração, não queria nenhum dedo intruso mexendo nas minhas feridas. Eu era assim... e não conseguia com que as pessoas se abrissem comigo e me preferissem como companhia. Eu não me dava por inteira, porém queria isso dos outros!
Hoje me permito mais! Hoje me sinto mais humana.
Eu rio quando tenho vontade, faço dengo quando acho adequado, choro e brigo quando me sinto injustiçada... Hoje me exponho pro mundo como sou... e as pessoas tem agido assim comigo também!
É ótimo se permitir ser simplesmente humano...