sexta-feira, 4 de abril de 2008

Seria covardia ou respeito não gritar os defeitos alheios na cara das pessoas?

Me questiono isso porque canso de ver gente criticando as pessoas por estas não falarem o que pensam, chamando essas pessoas de covardes, pessoas sem personalidades, falsas, mas até que ponto isso não é simplesmente o esquecido respeito?

Carrego comigo uma vasta carga de conclusões e opiniões sobre as pessoas que me cercam, e também tenho certeza de que todas essas pessoas que me cercam também têm suas opiniões e conclusões sobre os outros. As pessoas são de natureza observadora e é essa natureza instintiva que nos faz estarmos em constante espreita, é a lei da sobrevivência, precisamos saber quem nos cerca, se são criaturas confiáveis, se não estamos por ventura cercados por cobras ou outros bichos traiçoeiros. Então, quando tivermos analisado bem o ambiente à nossa volta e tivermos a certeza de que ali é terreno seguro, daí sim ficaremos tranqüilos.
Realmente acho que nem todas as pessoas agem assim, já conheci gente que confiava de cara, mas eu ainda sou do tempo das cavernas e carrego comigo esse instinto de sobrevivência. É óbvio que depois de tanta análise sempre acabo encontrando as principais fraquezas dos meus companheiros de caverna, mas não vivo sozinha por causa disso, afinal tenho bom senso de saber que eu não estou livre de fraquezas e defeitos (bem pelo contrário). Esse conhecimento só me permite ser mais segura ao agir com as pessoas, pois dessa forma sei seus pontos fracos e tento evitá-los, sei o que as deixam bravas, tristes, felizes e dessa forma sei melhor como agir.

Sou uma pessoa de natureza intolerante e em função disso acabo tendo que engolir críticas que teria vontade de gritar na cara de algumas pessoas. Faço isso porque sei que eu não tenho o direito de sair listando os defeitos alheios e apontando o dedo na cara das pessoas como se eu fosse imune a defeitos, como se fosse a portadora da verdade absoluta e estivesse acima de tudo e de todos, sim, porque é assim que uma pessoa que se julga apta pra julgar se sente!

Acho prepotência, falta de senso do ridículo e egocentrismo uma pessoa se julgar perfeita o bastante para sair ridicularizando e menosprezando os outros.

As pessoas têm o direito de não gostarem dos defeitos dos que o cercam, mas têm o dever de respeitá-los como seres humanos imperfeitos que são. Não falo pra sair lambendo quem não suporta - aliás tenho asco de gente assim - mas apenas respeitar as diferenças ... desde que a diferença em questão não seja falsidade, coisa que não tolero e que faço questão de cortar do meu convívio.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá! O texto falou tudo! Não se sabe o que é pior: fingir que gosta de alguém de quem não se gosta... ou achar que tem moral o suficiente para criticar tudo em todos à sua volta...