sábado, 17 de novembro de 2007

Textinho antigo!

Aconteceu ao acaso...
Por medo, tentei impedir que seguisse adiante. É como se um escudo de insegurança se acionasse a cada chance de amar.

Por que faço isso?
Não sei, apenas sei que tenho medo de amar.
As chances que surgem são dispensadas como se fosse a certeza do meu fim.

No fundo sei que se me apaixonar, será o meu fim...
Viverei intensamente esse amor, de uma maneira tão insaciável que certamente acabará afastando-o de mim.

Não o quero longe! Por isso não quero amar-te!

Sou tão só...
Sei que a culpa é minha;
Mas que mal há em sonhar?!

A desilusão foi tão desesperadora que não quero vivê-la novamente.
Tranquei meu coração a sete chaves privando-o de ser livre, privando-o de sonhar...

Me desespera vê-lo triste...
Não quero magoar-te por causa dos meus medos.

Peço-te desculpas, mesmo sabendo que nada muda, porque não esquecemos o que nos magoa.

Talvez um dia eu viva esse sonho!
Talvez ele se concretize...

Mas se isso não vier a acontecer,
será fácil esquecer-te!
Basta não olhar o céu!
Basta não lembrar o mar...

3 comentários:

Douglas Fabrício disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Douglas Fabrício disse...

"Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, porque cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra. Cada pessoa que passa em nossa vida, passa sozinha, mas não vai sozinha e nem nos deixará só, porque leva um pouco de nós e deixa um pouco de si. Há os que levam muito e deixam pouco, Há os que levam pouco e deixam muito. Essa é a mais bela responsabilidade da vida e a prova de que não nos encontramos por acaso."



"Cada pessoa é única, e é isso que faz seu mundo valer mais a pena..."

Daniele Buzatta disse...

É por isso que devemos sempre agir da melhor maneira possível, para que nossas marcas nas pessoas sejam sempre as melhores possíveis, fazendo-nos ter a certeza de estar sempre agindo certo...

Obrigada pela visita!